Passagens

o blog do Wanderley Geraldi

Meia verdade e muitas mentiras

Ninguém larga a mão de ninguém, exceto algumas. Existem mãos, e corpos que nunca foram vistos. Eles precisam mesmo ser invisíveis desde sempre para não causar constrangimento: uma criança tão nova que pede nas ruas, uma mãe tão sacrificada nos afazeres domésticos de...

A PIOR IDADE – QUAL? “A MELHOR IDADE – EXISTE?

  “Agora tenho saudade do que não fui”. Manoel de Barros, invenção genial. A matemática da vida – da idade – é a matemática mortal da lei “soma zero”! Cada ano que passa somado aos anos já vividos é um ano subtraído dos anos a viver. A lógica é fácil: a cada ano que...

Os corvos que nos visitam

Assim. De repente. Apareceram como bando e pousaram nas areias da praia. Mesmo apurando o olfato, nenhum indício do que procuram os corvos. É comum que apareçam quando o mar se embrabece e joga para a praia um peixe mais graúdo. O peixe morre afogado no seco; não sei...

A mão, de Carlos Drummond de Andrade

Entre o cafezal e o sonho o garoto pinta uma estrela dourada na parede da capela, e nada mais resiste à mão pintora. A mão cresce e pinta o que não é para ser pintado mas sofrido. A mão está sempre compondo módul-murmurando o que escapou à fadiga da Criação e revê...

Intriga e amor, de Friedrich Schiller

Esta foi a terceira peça de teatro do dramaturgo alemão Friedrich Schiller, datada de 1784. Não fosse um posfácio de Mário Luiz Frungillo, na edição que manuseio, o leitor contemporâneo perderia muitas das críticas mordazes que faz o autor à situação do absolutismo...

Depois do ‘show’, como encontrar encantamento?

A vida é um tecido misturado ou alternativo de prosa e poesia. Pode-se chamar prosa às atividades práticas, técnicas e materiais que são necessárias à existência. Pode-se chamar poesia ao que nos põe num estado segundo: primeiro a própria poesia, depois a música, a...

Nem todas as cartas são de amor

Nos últimos dias tenho sido visitada pela lembrança de uma sensação experimentada quando há muitos anos atrás li Ninguém Escreve ao Coronel de Gabriel Garcia Marquez. E como não estou presa, recebo as visitas que não se pode impedir. Eu e todos nós somos visitados, e...

PSL: PARTIDO SUCO DE LARANJA

- Garçom, me sirva um suco de laranjas. Puro e sem açúcar. - Pois não. Com prazer. Suco pequeno, médio ou grande? - Grande, caramba! Olha o meu tamanho. Mas, as laranjas estão boas? Quero dizer, limpas, higienizadas, maduras, enfim, sadias e saudáveis? - Olha, sendo...

Josefina, a mulher que pintava os cabelos

A idade ia entre 5 e 6 anos. Numa tarde, a irmã mais velha interrompe a brincadeira (de que estaríamos brincando e com que continuamos a brincar?) para nos dar uma informação preciosa: nossa mãe iria receber a visita de uma mulher que pintava os cabelos... Ela vinha...

Nudez, de Carlos Drummond de Andrade

Não cantarei amores que não tenho, e quando tive, nunca celebrei. Não cantarei o riso que não rira e que, se risse, ofertaria a pobres. Minha matéria é o nada. Jamais ousei cantar algo de vida: se o canto sai da boca ensimesmada, é porque a brisa o trouxe, e o leva a...

A supeita, de Fiedrich Dürrenmatt

O suíço do cantão de Berna, falante de alemão, se notabilizou como dramaturgo, mas também escreveu romances ou novelas, contos, poemas, roteiros de cinema... Seu trabalho de modo geral é sarcástico, já que para ele “o mundo é alguma coisa monstruosa, um enigma de...

Gabriela com cravo e martelo

Jorge Amado imortalizou o nome “Gabriela” no mundo da literatura. Mulher de beleza muita, feliz no seu gingado, dança e ama com fervor. Nacib que a encontrou no Mercado, que a contratou como cozinheira e outros afazeres, amou-a e com ela se casou. Mas Tonico Bastos, o...