Delcídio, conta tudo…

Delcídio está propenso a se tornar delator (um ato heroico muito em moda neste país). Um conselho ao futuro alcacoete: conte tudo, desde os tempos em que era´Diretor de Gás e Energia da Petrobrás… pode até contar dos tempos em que trabalhou para a Shell, o que o qualificou para ser diretor da estatal no governo privatista de FHC. Queremos saber tudo.

Claro que a PF não vai perguntar nada sobre os tempos de antanho… E já se sabe: o que você vier a dizer sobre aqueles bons tempos de diretoria, não vazará na imprensa, e será desconsiderado. A PF sabe fazer ouvidos moucos… Já faz agora, lá nas bandas de Curitiba. Não adianta seus herois delatores citarem Aécio e outros: vazarão somente informações de interesse do partido (afinal, o grupo de investigadores da Lava-Jato era também um comitê de campanha do Aécio Neves em 2014). Então, silêncio sobre estas coisas. Nada de processos inadequados! Só os adequados, julgados antes mesmo de qualquer investigação.

E viva-se feliz nestes tempos, como viveram os alemães na época de Hitler. Sob a ditadura nazista também somente crimes que interessavam ao partido eram considerados. Crimes dos companheiros nazi eram abafados, inexistentes… Toda justiça que julga ao estilo Gilmar Mentes, com discursos partidários, é fascista. 

João Wanderley Geraldi é reconhecido pesquisador da linguística brasileira e formou gerações de professores em nosso país. Há já alguns anos iniciou esta carreira de cronista-blogueiro e foi juntando mais leitores e colaboradores. O nome de seu blog vem de sua obra mais importante, Portos de Passagem, um verdadeiro marco em nossa Educação, ao lado de O texto na sala de aula, A aula como acontecimento, entre outros. Como pesquisador, é um dos mais reconhecidos intérpretes e divulgadores da Obra de Mikhail Bakhtin no Brasil, tendo publicado inúmeros livros e artigos sobre a teoria do autor russo.