Passagens

o blog do Wanderley Geraldi

A visitação do amor

Se há uma palavra que se pode aplicar a este livro de Jorge Miguel Marinho, é a palavra delicadeza. Delicadeza no estilo; delicadeza no tratamento do tema do amor, mas também delicadeza na alegoria que conduz toda a trama que se desenrola no Pequeno Reino desta...

Políticas de inclusão em estruturas de exclusão

                                                              Para Ana Lúcia Vieira de Menezes, presidente do SINTESE, por suas 32 horas de greve de fome em agosto.   Desaparecida há tanto tempo a “roda de leitura”, aqueles ainda leitores reúnem-se em simpósios,...

Uma desbiografia

UMA DESBIOGRAFIA: Bernardo morava de luxúria com as suas palavras. Para nós era difícil descobrir o contexto daquela união. Nossa linguagem não tinha função explicativa, mas só brincativa. Como seja: ontem Bernardo fez para nós Um ferro de engomar gelo! Toninho disse...

História da Feiura

Comecei a ler a ‘trilogia’ de Umberto Eco (História da Beleza, 2004, História da Feiura, 2007, e História das terras e lugares lendários, 2013), pelo segundo volume. Mera curiosidade e, confesso, porque queria ver como apareceriam os trabalhos de Bosh e Bruegel em seu...

Lula livre e a minha felicidade clandestina

Sempre gostei muito do que escreve Clarice Lispector. Até aí nada de mais, afinal é uma grande escritora que trata das profundezas humanas de forma elegante e tão simples que muitos desavisados podem até pensar se tratar de autoajuda.  Eu leitora advogo que ajuda,...

Não cai a Bastilha sem povo na rua

Os acontecimentos deste domingo comprovam: um preso político somente sai em liberdade nas ondas de uma revolução, com os injustiçados de sempre tomando as ruas, brigando e elaborando as mudanças necessárias a uma nova ordem das coisas e das gentes. Na África do Sul,...

Erro de leitura e pedido de desculpas

Num dos posts de sexta-feira passada – Que os ossos dos miseráveis se tornem armas... – cometi um grave erro de leitura. Fui levado a ele pela citação que referi na crônica e que aparece no seguinte contexto em Fernando Britto: Não é à toa que, no Facebook, o...

Não somos apenas o que existe

NÃO SOMOS APENAS O QUE EXISTE Não somos apenas o que existe. Há camadas que guerreiam.   Apenas o alargamento de terras e raízes. Rio correndo países de paciência.   Apenas o estribilho de línguas vivas ou mortas. Um pelo, a brisa, os corpos na água.   Inumeráveis as...

O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo

Este é o romance de estreia do cabo-verdiano Germano Almeida, escrito em 1988 e publicado em 1991. Usando uma técnica de compor a narrativa que inclui um outro texto, outra narrativa, inicia-se o romance com a leitura do testamento do Sr. Napumoceno, comerciante do...

Que os ossos dos miseráveis se tornem armas…

Leio em Fernando Brito uma estarrecedora declaração do professor Gilberto Maringoni: Pouco importa se as mãos de quem dirigirá o país estiverem sujas de sangue, se há apologia de Brilhante Ustra, ou se há pregação misógina, homofóbica ou de ódio aos pobres. Isso é...